Pages

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Conselhos de Gates.



Bill Gates foi convidado por uma escola secundária para uma palestra. Chegou de helicóptero, tirou o papel do bolso onde havia escrito onze itens. Leu tudo em menos de 5 minutos, foi aplaudido por mais de 10 minutos sem parar, agradeceu e foi embora em seu helicóptero. O que estava escrito é muito interessante, leiam:

1. A vida não é fácil — acostume-se com isso.
2. O mundo não está preocupado com a sua auto-estima. O mundo espera que você faça alguma coisa útil por ele ANTES de sentir-se bem com você mesmo.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Coluna: Entrevista (com Michael Andrews)

Boa noite queridos seguidores ! Aqui esta mais uma entrevista para vocês. Desta semana tive a oportunidade de entrevistar Michael Andrews, ele é um jovem escritor e acabou de lançar seu primeiro livro: Bem O Fim - As Crônicas dos Sete. Vamos conhecer este jovem autor !



BDC: Boa tarde Michael, obrigado por sua disponibilidade. Poderia se apresentar, por favor.

Michael Andrews: Me chamo Michael Andrews, 24 anos, fazia apenas poemas e fanfics e esse é o meu primeiro livro Bem O Fim - As Crônicas dos Sete.

BDC: Legal, tambem ja fiz alguns textos. Se lembra desde quando tem contato com a literatura ?

Michael Andrews: Faz muito tempo. Mas no começo eram alguns contos quando eu tinha meus 6 ou 7 anos lá nos anos 90, só quando eu tinha 11 anos, 2001, que li meu primeiro livro completo: foi Harry Potter e a Pedra Filosofal . Sou da primeira geração HP (risos).

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Resenha: Os Sete

Olá pessoal!

Semana passada não pude postar nada, mas essa semana trouxe algo legal para vocês: a resenha do clássico livro de André Vianco, OS SETE.

A história se passa integralmente no Brasil, hábito deste ótimo escritor que conquistou os fãs de ficção, fantasia e terror, suas histórias sempre se passam em território nacional! Apesar de ter sido escrito há algum tempo (o livro data de 2000), muitos leitores tupiniquins desconhecem essa obra e tantas outras deste prestigiado autor, que publicou independentemente as primeiras cópias da obra.

Capa 1ª Edição
A história trata de um grupo de amigos que, mergulhando no litoral do Rio Grande do Sul, encontram uma antiga caravela portuguesa com vários artefatos históricos e uma misteriosa caixa de prata. Acidentalmente, uma pequena porção de sangue atinge a caixa que contém 7 cadáveres ressequidos, e quando o pessoal da Universidade de Porto Alegre decide abrir a caixa, um dos corpos retoma a vida e o caos começa numa perseguição implacável pelas regiões sul e sudeste do Brasil em busca dos que os despertaram. O exército é envolvido e inúmeros vampiros começam a tomar conta das cidades brasileiras, se espalhando como uma peste, sendo capturados e estudados e até bombardeados por armamento pesado. Ainda assim, apesar do caos causado por eles, alguns mantém seus sentimentos humanos, o que faz o leitor simpatizar com os vilões em várias partes.

Apesar dos bons protagonistas Tiago, Cesar, Olavo e Eliana, a produção é marcada pelo carisma dos sete cadáveres vampirescos que acordam em uma terra diferente da sua e alguns séculos adiante, sendo eles: Inverno (Guilherme), com a capacidade de invocar baixíssimas temperaturas e congelar objetos, Acordador (Manoel) e sua sombria capacidade de levantar os mortos, Lobo (Dom Afonso) que apesar de vampiro tem a habilidade de se transmutar em lobisomem, Tempestade (Dom Baptista)  o invocador de tempestades, Gentil (Miguel) e a capacidade de parar o tempo, Espelho (Dom Fernando) que transforma-se em qualquer pessoa, e o temido Sétimo, que serviu ao próprio tinhoso como escravo por 150 anos, temido inclusive pelos seis companheiros (e acreditem, eles têm motivos para ter medo).
Capa 2ª Edição

Durante toda a história, André Vianco proporciona ao leitor não apenas momentos de grande tensão e terror, como também momentos verdadeiramente hilários nessa jornada sangrenta através de solo brasileiro. Imaginem o que poderia resultar na visita de Acordador ao IML de uma cidade? Ou ainda uma viagem em um trem de carga para alguém com cinco séculos de idade? Do despertar em Porto Alegre, a aventura se desenrola até Osasco, passando por várias cidades do sul e sudeste do país, por onde os vampiros portugueses certamente deixaram sua marca registrada, encontrando inclusive um caçador de vampiros que nunca havia caçado um, descendente daquele que conseguiu capturar os sete na caixa de prata, o destemido Tobia. 

O livro foi muito bem sucedido e tem a continuação em SÉTIMO, publicado dois anos mais tarde, que continua com a matança e destruição em alto nível e a luta pela sobrevivência dos protagonistas. Para quem é fã de vampiros, suspense e terror, e sempre se perguntou como seria se vampiros 'rodassem' por essas bandas, a leitura é obrigatória, a diversão é garantida e a releitura será quase uma certeza!

Bem pessoal, fica a dica, espero que gostem do livro e até a próxima!!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Livro: Depois dos quinze: quando tudo começou a mudar.
Autor: Bruna Vieira
Ano de publicação: 2013
Paginas: 200
Editora: Gutenberg

Sinopse: Bruna Vieira tem 18 anos, é colunista da Revista Capricho e dona de um blog chamado Depois dos Quinze. Começou a escrever porque descobriu que o amor da sua vida era na verdade o amor de uma das centenas de fases que ela já viveu. Desde então, com a ordem das palavras escritas e compartilhadas nas redes sociais, Bruna superou a timidez, viajou para a Europa, fez duas tatuagens, mudou de vez para São Paulo e tornou-se uma das adolescentes brasileiras mais influentes da internet com milhares de fãs-leitoras-amigas-seguidoras. Nesse livro você encontra uma mistura de histórias, desabafos e segredos de uma garota que nasceu no interior, ama animais, usa boinas coloridas e ainda acredita no amor simples e verdadeiro.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Coluna: Entrevistas (com Tais Cortez)



Boa tarde queridos amigos e seguidores do Blog dos Contos.

Hoje, estarei entrevistando Tais Cortez. Ela é escritora nacional que tive o grande prazer de conhecer.

Tais CortezBDC: Boa tarde Tais. Agradeços desde já a sua disponibilidade para nossa entrevista. Para que nam a conheçe, pode se apresentar por favor.

Tais: Meu nome é Tais Cortez Ferreira, tenho 26 anos, moro em Campinas (Na verdade estou me mudando para Barueri em breve, pois vou me casar rs), sou formada em Relações Internacionais com bidiplomação em Economia e trabalho como gerente de conta na Cisco.

BDC: Ah sim, parabéns e muitas felicidades. Diga-nos quando foi seu primeiro contato com a literatura ?

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Resenha: Café Forte

Livro: Café Forte
Autor: Eliane Quintella
Ano da publicação: 2013
Páginas: 229
Editora: Independente

Sinopse: Miguel vê sua namorada aterrorizada por um demônio. Ele não acredita, acha que há alguém por trás de tudo e resolve descobrir quem é. Nessa jornada, o ceticismo de Miguel é colocado à prova e ele descobre muito mais do que podia imaginar. Um suspense fantástico que vai deixar o leitor faminto por cada dia um pouco mais de história!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Coluna: Entrevistas (com Carolina Silva)

Olá caros seguidores do Blog dos Contos,  hoje entrevistarei Carolina Silva. Ela é a proprietária do blog Uma garota leitora, resenhista e escritora do mesmo e hoje estará conosco em seu trabalho aqui no blog.


BDC: Agradecendo desde já a oportunidade de entrevista e espero que tenhamos uma parceria muito duradoura entre os blogs e nossos trabalhos. Diga-nos como começou o seu interesse pela literatura?

Carolina: O meu interesse começou desde criança, lembro-me das visitas à biblioteca da escola e gostava de passar o intervalo lendo. Um dos livros que marcou na infância foi o livro “Os miseráveis” de Victor Hugo, eu escolhi um livro para apresentar na sala e me encantei com o livro, e com o universo literário.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Cores do meu mundo

Deitado neste limiar, tão próximo do nada e distante de tudo
Com a consciência clara, nada a que me segurar
Os dados são jogados e observo as cores do meu mundo

A cada nascer do sol e cada noite
Silencio um grito precioso
Silencio o choro contido e pinto o mundo de cinza
Acho que perdi o jogo hoje...
E a cada pulso do meu coração
Uma parte da alegoria da vida tenta me encontrar nas cores que escondi

E no silêncio, eu jogo os dados novamente
Será que devo ficar?
Será um jogo que não consigo ganhar?...
Minha existência sopra sem fim
Sem cores para rir
Sem sorrisos para colorir

E as cores que escolhi desenharam uma vida
Um anjo me observando da porta, um demônio gritando às minhas costas
Enquanto termino a tela da minha alma

E talvez tudo termina aqui
E eu sei que tudo segue logo ali
E não sei o que colori
E não sei minha cor ao me despir

E os dados são jogados novamente
Não há luz e não há sombra, não há dia e não há noite
Apenas as sombras de um sonho que vivi
O cinza se desfaz em preto e branco e meu mundo sorri.

E então jogo os dados em silêncio...


Há momentos em que perdemos o rumo, não sabemos quais "cores" usamos para colorir o nosso mundo e no fim nos questionamos se valeu a pena as decisões que tomamos, nos questionamos no que nos tornamos. O arrependimento pode ser seu maior carrasco ou sua maior motivação para parar ou seguir em frente, e neste último caso, ele se torna uma lição. E vocês, quais as cores que têm usado para colorir seu mundo?

Abraço e até a próxima!!



quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Resenha: Lua, Lobos e Cerrado


livro: Lua, Lobos e Cerrado.
Autor: André Tressoldi.
Ano da publicação: 2014.
Editora: Novo Século

Sinopse: Josber é encarregado de auxiliar um grupo de estudiosos pelos diversificados caminhos do ambiente mato-grossense. No entanto, algo que parecia ser uma lenda regional começa a interferir nos dias, ou melhor, nas noites dos pesquisadores, tornando a previsível pesquisa em uma inesperada aventura.
Confrontados com essa nova realidade, terão de enfrentar várias criaturas, e a mais presente delas: os lobisomens.
Mesmo em meio ao desespero, surge a paixão entre Josber e Tiacha, uma fabulosa guardiã, que se revelará como uma questão a mais no conflito entre o humano e o sobrenatural, selando o destino de todos.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Coluna: Entrevistas (com Rodrigo Jesus)

Olá caros seguidores do Blog dos Contos, venho hoje anunciar a todos o inicio de nossas atividades. Hoje iniciarei a coluna de Entrevistas com um amigo escritor e colunista Rodrigo P de Jesus.

Para quem não sabe, esta ideia de entrevistas veio pelos motivos de ficar acordado a noite até tarde e não ter nada o que fazer ou assistir (culpa do Danilo Gentili, Rafinha Bastos, Marília Gabriela, esses que passam na madruga). E logo comentei com um amigo e cá esta !

BDC: Agradecendo desde já a oportunidade, meu caro. Diga-nos como começou o seu interesse pela literatura?

Rodrigo P: Eu é que agradeço pela oportunidade e o espaço. Curiosamente, os clássicos literários nunca fizeram verdadeiramente parte da minha vida (risos), nunca li Don Casmurro, A Moreninha, Grande Sertão: Veredas, não por falta de tentativas, mas faltava algo para mim, não batia comigo. Reconheço a grandeza e importância dessas obras, e tenho profundo respeito pelo que elas e seus autores significam para a nossa cultura, mas definitivamente não é meu forte (mais risos). Eu sempre gostei de escrever, desde meus 10 anos, e nunca tomei alguém como referência, pois sempre coloquei no papel meus sentimentos e pensamentos, desde a mais profunda melancolia até a admiração pelas coisas naturais. Inconscientemente passei por fases da literatura clássica, como o naturalismo, por exemplo, a qual acredito ser minha fase preferida, mas passei a ler e a consumir literatura depois que conheci minha esposa, e hoje com 11 anos juntos estamos indo para a segunda estante de livros.
Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo