Pages

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Resenha: Lua, Lobos e Cerrado


livro: Lua, Lobos e Cerrado.
Autor: André Tressoldi.
Ano da publicação: 2014.
Editora: Novo Século

Sinopse: Josber é encarregado de auxiliar um grupo de estudiosos pelos diversificados caminhos do ambiente mato-grossense. No entanto, algo que parecia ser uma lenda regional começa a interferir nos dias, ou melhor, nas noites dos pesquisadores, tornando a previsível pesquisa em uma inesperada aventura.
Confrontados com essa nova realidade, terão de enfrentar várias criaturas, e a mais presente delas: os lobisomens.
Mesmo em meio ao desespero, surge a paixão entre Josber e Tiacha, uma fabulosa guardiã, que se revelará como uma questão a mais no conflito entre o humano e o sobrenatural, selando o destino de todos.


Olá pessoal, do Blog dos Contos, tudo bem com vocês? Espero que sim, hoje eu trago a resena desse livro incrível, enfim, venham conferir.
Sabe aquele livro, que você não consegue parar de ler porque desde os primeiros capítulos, prende completamente sua atenção??? Logo no inicio do livro tem um acontecimento que eu pensei: "nossa acontece isso? Não vai ter mais nada interessante depois..." Quando eu penso isso, acontece outra coisa que toma minha atenção.
O livro conta a história de Josber, e um grupo de pesquisadores, que ele tem o dever de acompanhar pelo cerrado mato-grossense, são eles o professor Eduardo que é o doutorando e idealizador da pesquisa, Madeleine que é atraente e simpática, Olga que é pouco feminina e tem uns quilinhos a mais, e Otávio o motorista que também cozinha além de morar pela região.


"Isso era o defeito dele, muito delicado em certas coisas e sistemático em outras. Nunca saberíamos o que o agradaria ou não."

Página 13.

Gostei muito da escrita do autor, que demonstra muito conhecimento na região na qual a história do livro se passa, e também a maneira como ele mescla ação com uma pitada de comédia, fica um clima descontraído que nos aproxima dos personagens.
O livro é narrado pelo personagem Josber, nome que eu achei muito interessante e singular. Assim, todo o desenrolar da história é narrada na visão dele, o que envolve seu pensamento a respeito de seus colegas de viagem, percebemos seu interesse em Madeleine, como ele questiona o conhecimento científico. Ele é um personagem intenso, engraçado e ao mesmo tempo se torna o líder que todos precisam em momentos de desespero.

"O ser humano é assim: só procura saber algo que precisa, depois que já está precisando.
Página 94.

Esse livro, me deixou com o coração saindo pela boca, quando precisavam chegar em um local a pé, porque não passava carro, dessa forma caminharam muito para chegar ao destino. E além dos vários espécimes de marçupiais, encontraram outra criatura, não apenas um, mas sim, quinze lobisomens. Nesse momento, Josber tomou a liderança e buscou soluções para a sobrevivência do grupo
O perigo era enorme, e os lobos são assustadoramente cruéis, eles estavam caçando e o grupo de pesquisadores estava em notória desvantagem. Além de estarem perdidos dentro da mata, sem proteção e com pouca alimentação, tendo como única alternativa pensar em alguma estratégia de proteção que consiste: procurar abrigo antes do anoitecer. 

"(...) por que os cientistas e pesquisadores se dizem céticos e incrédulos, mas por vezes falam em intuição? Isso não seria o mesmo que crer em alguma coisa?" 
Página 12.

Nessa aventura a sobrevivência do grupo que é conquistada graças a Josber, porém o final da lua cheia não significou o fim do perigo, apareceram outros tipos de lobisomens. Mas desta vez o grupo teve uma ajuda misteriosa de seres místicos.
Durante dias andando, encontram uma casa no meio do mato, onde podem realmente comer, tomar banho, e nesta casa encontram imagens das espécies de lobisomens que existem naquela região.Chegando o momento, eles são direcionados pelos seres místicos para seguir na trilha, são alimentados misteriosamente durante o  caminho, imaginando que a trilha os protege.
Após diasandando na trilha encontram um viralejo, com pessoas simples, e lá os seres místicos se apresentam como guardiões e protetores daquela região, e o vilarejo em plena mata foi formados de pessoas perdidas que decidiram ficar. 
Eles conhecem três tipos de lobisomens, sendo eles os Lobizoons, os lobisomens e os lobizomins. Para cada lua um lobo. Os Lobizoons eram grandes lobos brancos, maiores que os lobisomens. Os lobizomens são bipedes mais parecidos com a forma humana.
Eles ficam para conhecer o vilarejo onde as pessoas vivem de forma pacífica. Ficam encantados com a beleza dos guardiões, e ainda mais Josber que nutre um amor pela única guardiã que não tem um par da mesma espécie: Tiacha.
O livro tem muito mais acontecimentos interessantes, e vocês só vão descobrir quando desfrutarem da leitura do mesmo.

"(...) mas o fato é que existem coisas inexplicáveis, quer no céu, na terra, no mar ou nas estrelas.
-O que é o homem? Tentamos lidar com o inevitável e vemos, a cada dia, nossas teorias escorrerem pelo ralo e não somos capazes de melhorar, apesar de tudo."
Página 39.

Posso dizer que é um livro completo, tem aventura, suspense, romance, mistério, utopia. O autor dá uma aula de geografia, ao descrever muito bem o cerrado e as espécies de animais brasileiros, o que trás harmonia e complementa a fantasia da história. Eu recomendo, foi uma leitura muito agradável e fluiu muito rápido. É um livro nacional que não perde pra nenhum livro internacional, em questão de fantasia, conteúdo e originalidade, nesses aspectos ele simplesmente arrasa.
Espero que tenham gostado da resenha, e entendam a importância de valorizar os livros nacionais que são muito incríveis e não tem a visibilidade que merecem.
Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2014 | Design e C�digo: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo